O que é assédio moral? Entenda tudo...

O que é assédio moral? Entenda tudo sobre o assunto.

Você sabe o que é assédio moral? Trata-se de uma ação repudiável, mas que ainda assim é extremamente comum em território brasileiro. Portanto, é fundamental falarmos sobre este conceito.

Isso serve para que ele possa ser discutido com mais propriedade, sendo resolvido e, se possível, extinto de nosso cotidiano. Dito isso, vamos entender melhor o que é assédio moral.

O que é assédio moral?

Assédio moral pode ser definido como uma das inúmeras vertentes de violência. Nesse caso em específico, determinada pessoa humilha, constrange, ofende e ataca a dignidade de outra. Em outras palavras, o assédio é exposição prolongada e repetitiva das pessoas a situações humilhantes e vexatórias.

Note que esta injúria pode ocorrer em diversos lugares. Entretanto, o mais comum é que o assédio moral ocorra no ambiente familiar ou até mesmo no âmbito profissional.

Um fato bastante curioso é que não existe uma legislação específica no Código Penal brasileiro para tratar deste tipo de abuso psicológico.

Contudo, de acordo com a Justiça, caso seja comprovado que o trabalhador é alvo de assédio, o acusado passa a responder por crime de danos morais.

Qual o motivo para ocorrências de assédio moral?

Apesar de nunca ser justificável, o assédio moral pode ser motivado por uma variedade enorme de motivos. Se tomarmos o ambiente de trabalho como exemplo, é possível dizer que nesse cenário o assédio é motivado principalmente pela busca implacável em forçar o funcionário a abrir mão do emprego e pedir demissão, visto que assim perderia alguns direitos relativos a indenização, por exemplo.

Podem haver casos, inclusive, em que o assédio moral seja realizado de maneira involuntária, não sendo completamente “intencional”. Todavia, mesmo nesse tipo de situação, o ato continua sendo bastante grave e prejudicial à vítima.

Quais são as consequências do assédio moral?

O principal tipo de dano causado pelo assédio moral certamente é o psicológico. Mas por decorrência disso, as altas cargas de stress podem inclusive ocasionar danos físicos às vítimas.

Ainda, síndrome do pânico, ansiedade, problemas gástricos e emocionais são algumas das outras consequências que o assédio moral pode acarretar para o assediado. Para facilitar a compreensão, elaboramos uma lista com as principais consequências do assédio moral. São elas:

  • Perda da capacidade de tomar decisões;
  • Estresse e ansiedade;
  • Isolamento;
  • Depressão;
  • Síndrome do pânico,
  • Pressão alta;
  • Insônia;
  • Irritabilidade;
  • Desmotivação;
  • Crises de choro;
  • Problemas gástricos;
  • Abandono do emprego;
  • Suicídio.

Ainda é preciso dizer que o assédio moral pode desencadear algumas complicações para a empresa. Entre elas, podemos citar a diminuição de produtividade, uma vez que o funcionário estará desmotivado, necessidade da contratação de novos funcionários, uma vez que será necessário efetuar a rotatividade dos mesmos e até mesmo casos de aposentadoria prematura.

Também, casos recorrentes podem prejudicar gravemente a reputação da empresa, fazendo com que as pessoas não desejem comprar produtos da marca e até mesmo evitem trabalhar naquele lugar. Outro ponto importante remete a questão financeira. Isso porque casos frequentes de assédio moral podem desencadear penalidades administrativas.

Note que o valor pago para cobri-las poderia ser utilizado na otimização de diversos outros setores do negócio, promovendo assim uma melhoria geral dentro da empresa. Infelizmente, com casos de assédio moral, além dos outros malefícios já citados acima, a empresa pode sofrer com perdas financeiras desnecessárias.

Mas o que fazer nesse tipo de situação?

No cenário profissional, é necessário que a vítima entre em contato com os Recursos Humanos da empresa e relate a situação vivenciada. Entretanto, para isso, convém reunir evidências que provem a ocorrência deste tipo de violência no ambiente de trabalho, como testemunhas ou conversas gravadas, além de qualquer tipo de prova possível.

Caso os Recursos Humanos não tomem uma atitude a respeito, o assediado deverá fazer uma denúncia ao sindicato ou ao Ministério Público. Note que esse também é o caminho para todos aqueles assediados fora do ambiente profissional.

Ressalta-se, entretanto, que para que ocorra assédio as ações do assediador devem ser constantes e prolongadas. Caso seja uma situação isolada, esta não deve ser tratada como assédio. Logo, mais uma vez é essencial que a vítima obtenha todo e qualquer tipo de prova que possa comprovar o ato e incriminar o assediador.

Quais são os principais tipos de assédio praticados no ambiente de trabalho?

Como já destacado, o assédio moral pode ser praticado de inúmeras maneiras. Entre elas, podemos citar como principais:

  • Atribuir apelidos vexatórios ou pejorativos;
  • Humilhações públicas ou privadas;
  • Ameaça de punição ou demissão;
  • Causar punições injustas;
  • Determinar horários e jornadas de trabalho excessivos;
  • Dar instruções erradas para prejudicar;
  • Não dar as instruções necessárias;
  • Retirar os instrumentos de trabalho, como computador, telefone etc;
  • Acusar o trabalhador de erros que não existem de fato;
  • Forçar o empregado a pedir demissão;
  • Impor metas abusivas ou de difícil atingimento;
  • Xingamentos e agressões verbais;
  • Brincadeiras ofensivas e constrangedoras.

Estas são colocadas pelo Ministério Público como as principais reclamações de assédio moral existentes em território brasileiro. Agora você já sabe o que é assédio moral e quais são principais maneiras de lidar com esse problema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *