Setor de restaurantes precisará de reconstrução após pandemia

Mesmo com reabertura, setor de restaurantes precisará de reconstrução pós-pandemia

Comer e beber fora de casa é um luxo e uma praticidade que muitas pessoas gostam de aproveitar. Para alguns pode ser até considerado como parte de nossa cultura. Entretanto, a pandemia prejudicou bastante esse tipo de atividade. Inclusive, podemos dizer que mesmo com a reabertura, o setor de restaurantes precisará de uma reconstrução pós-pandemia.

E dizer isso não é nenhum exagero, uma vez que comer fora de casa pode ser relativamente caro e não caber no bolso de algumas pessoas, ainda mais que demandam uma certa economia, como a crise que vivemos.

Ainda, diversas organizações destacam dificuldade em conseguir crédito, negociar aluguel, pagar impostos sem uma política efetiva de parcelamento ou desoneração, garantir os vínculos empregatícios e se ajustar ao novo cenário de cuidados com higiene redobrada e vendas por delivery. O que podemos observar é que a lista de empecilhos é bem grande.

Setor de restaurantes precisará de uma reconstrução após pandemia

 

Com a disseminação do coronavírus, o setor de restaurantes deixou o posto de maior contratante para se tornar o que mais demite no país.

Também possível salientar que alojamento e alimentação é um subgrupo do setor de serviços, e o que mais colaborou para este quadro negativo.

Alguns restaurantes conseguiram se salvar, ou pelo menos garantir uma sobrevida, com o forte apoio de seus clientes fiéis.

Muitos deles, identificados com estabelecimentos específicos, decidiram realizar a divulgação, o que aumentou consideravelmente o número de vendas.

Como deve ser a retomada do trabalho nesses estabelecimentos?

 

O objetivo principal na retomada do trabalho, para qualquer estabelecimento que seja, deve ser o corte de custos. Além disso, é importante que o empreendimento se atente em:

 

  1. Administrar a redução de pessoal;
  2. Lidar com o estoque
  3. Renegociar dívidas;
  4. Tentar empréstimos junto aos bancos.

 

Ainda, cada empresário deve seguir uma jornada diferente visando a reabertura. Isso inclui uma planilha para cálculo de capital de giro, detalhes da adequação das instalações, cuidado com funcionários, clientes, gestão financeira com perspectivas de vendas para os próximos meses pós-reabertura em cenários pessimista, moderado e otimista.

Também é fundamental que os empresários se empenhem na troca de informações. Assim é possível gerar novas idéias. Garantir a saúde mental é essencial neste momento tão delicado.

Por fim e não menos importante, muitos empreendimentos do setor também defendem que o Estado se envolva de forma mais efetiva na busca por soluções. Isso significa buscar mas financiamentos, disponibilização de capital, manutenção de emprego e condições mínimas de recurso e crédito para ter subsistência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *