Compliance ajuda na sustentabilidade da empresa

Compliance ajuda na sustentabilidade da empresa

Você já ouviu falar sobre Compliance? Trata-se de um processo que, basicamente, envolve toda a sociedade. Assim, é bastante importante que você tenha conhecimento sobre o seu conceito. Por isso, nós decidimos elaborar um artigo detalhado retratando este tema tão relevante para todos. 

O objetivo aqui é elucidar qualquer tipo de dúvida referente ao Compliance, explicando sua essência, além seus principais procedimentos e impactos. Para começar, nada melhor que definirmos o que é esse processo. Somente dessa maneira poderemos dar continuidade ao nosso artigo. Acompanhe!

O que é o Compliance?

Compliance, em sua forma bruta, é o conjunto de disciplinas destinadas a fazer cumprir as normas legais e regulamentares, as políticas e as diretrizes estabelecidas para os negócios e para as atividades da instituição ou empresa. Em outras palavras, o conceito, de certo modo, define as regras dentro de um estabelecimento empresarial. 

Logo, se uma empresa define um programa de compliance, ela pode garantir que haja o cumprimento das normas e evitar penalidades e até mesmo danos reputacionais. A sistemática, além de ditar as regras, ainda auxilia bastante na identificação dos mais variados problemas existentes em uma empresa. 

Todo o sistema que envolve o compliance está diretamente ligado à valores fundamentais de nossa sociedade, como a ética e outros preceitos morais. Desse modo, todo o processo de implementação dessa sistemática exige um período de treinamento, além de conscientização aos colaboradores. O objetivo final é alcançar um cenário onde prevaleça a ética e as relações transparentes.

Como já citamos, o compliance pode apresentar benefícios. Inclusive, por ser uma ferramenta de autogestão, possibilita às organizações identificarem os riscos de conformidade envolvidos na sua atuação, bem como para garantir a conformidade dos processos. 

Assim é possível aprimorar diversos processos e mecanismos, impedindo a ocorrência de desvios e promovendo o crescimento e a sustentabilidade do negócio. Tudo isso, em conjunto, certamente elevará o grau de governança corporativa.

E, para realmente fixar ou “materializar” estes conceitos, o Compliance, apoiado em algumas leis, têm uma solução bastante simples. Esta é a aplicação de sanções a todos que desrespeitarem os procedimentos. Elas implicam na restrição ao direito de participar em licitações ou de celebrar contratos com a Administração Pública.

Qual é a justificativa para a utilização do Compliance?

A principal justificativa para a utilização do compliance é a corrupção empresarial, além de algumas falhas administrativas recorrentes. Note que na sociedade brasileira e na América Latina em geral tais questões são extremamente presentes. Inclusive, segundo uma pesquisa realizada pelo IPC, o Brasil se encontra no nível 38 de corrupção, considerado bastante alto (dada uma escala de 0 a 100). Isso certamente demonstra que estamos em uma condição crítica na evolução pela integridade. 

Nesse sentido, é possível observarmos a necessidade imediata de uma intervenção. É aí que entra o Compliance. Nesse contexto, ele se configura como uma ferramenta que tenta tornar o cenário empresarial mais positivo e correto. Isso certamente irá impactar de forma positiva nos negócios de uma maneira geral, promovendo maior transparência e atraindo investidores e outros negócios. 

O Compliance, além de trazer justiça, ainda torna o mundo dos negócios mais competitivo. Isso é o que temos observado no mercado de infraestrutura, agronegócios e medicina, especialmente.

Como deve ser a preparação das empresas para este novo conceito em ascensão? 

Nossa sociedade encontra-se altamente prejudicada e sequelada pelos atos de corrupção, seja no contexto político ou empresarial. Mas devemos lembrar que além de afetar a sociedade de maneira geral, tais atos abalam também as organizações empresariais e o Poder Público. 

Principalmente quando falamos do poder público, é necessário destacar que esse sofre com o aumento do custo dos negócios contratuais. Além disso, é altamente afetado pois, por conta da corrupção, ocorre a diminuição da qualidade dos produtos e serviços entregues.

E, independentemente das leis que exigem maior transparência, a conscientização sobre a importância de se estabelecer uma cultura ética na forma de fazer negócios se demonstrou extremamente presente. Esta considera medidas específicas e concretas para a prevenção e mitigação de riscos de corrupção. Portanto, pode ser considerada como um ponto crucial do estabelecimento de um programa de compliance.

E nos momentos mais complicados, é a alta administração que dará o tom da cultura e os caminhos que a mesma deverá considerar. Isso tudo com o principal objetivo de promover o combate aos atos ilícitos, especialmente o suborno e a lavagem de dinheiro.

Inicialmente, conquistada e convencida da necessidade de promover negócios sustentáveis, a organização deverá avaliar os riscos aos quais sua atividade está sujeita. Para isso, é preciso elaborar um mapeamento dos riscos para identificar os gaps.

Uma vez identificados, cabe desenvolver e implementar um programa de integridade com o apoio da alta direção da organização. Este, de preferência deve possuir a nomeação de um responsável interno pelo programa de integridade.

Também é preciso fornecer treinamento em relação ao programa de integridade. Isso vale tanto para os colaboradores quanto para os terceiros que façam negócios. Nesse sentido, a ação ainda é responsável por implementar políticas e procedimentos para verificar a integridade e a reputação de terceiros.

A Lei Anticorrupção e o Compliance

Outro ponto que merece destaque, principalmente quando falamos sobre a fase preparatória das empresas, é a Lei Anticorrupção. Isso porque, de acordo com ela, também é preciso implementar canais de denúncia, proteção aos denunciantes e um sistema interno de investigação. Tudo isso pode ser acompanhado pela realização de auditorias durante os processos de transformação e aquisições corporativas.
Assim é possível garantir a tão esperada transparência, deixando o cenário corporativo mais leve e justo. Agora você já sabe que implementar o Compliance em seu negócio pode trazer inúmeros benefícios ao seu negócio, além de aumentar a credibilidade dele e permitir que ele opere de acordo com a lei.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *